Marketing nas redes sociais para instituições de saúde

A área de saúde tem se tornado cada vez mais competitiva também no mundo digital, por isso tem sido fundamental as instituições buscarem formas de aprimorar o seumarketing digitala fim de conseguir melhores resultados.

Isso inclui desenvolver ações de marketing nas redes sociais para instituições de saúde.

Afinal, asredes sociaissão canais em que não apenas pessoas, mas também empresas estão inseridas a fim de partilhar seus valores e objetivos com seus públicos na internet.

O Facebook, por exemplo, tem mais de 100 milhões de usuários ativos no Brasil, portanto, sem dúvidas os pacientes da sua instituição também estão lá.

E para você saber como trabalhar as redes sociais da maneira correta, acompanhe este artigo até o final.

Por que fazer marketing nas redes sociais?

Em primeiro lugar, vejamos quais são as razões pelas quais sua instituição precisa estar presente nas redes sociais.

Maior visibilidade

Quando começamos a falar sobre marketing digital, o primeiro ponto a ser abordado é visibilidade, ou seja, quanto maior a quantidade de canais em que a sua instituição estiver, maiores são as chances de ter uma visibilidade maior. Logo, ter perfis e páginas nas redes sociais faz com que sua instituição se torne mais visível e conhecida pelo seu público.

Mais engajamento

Outro aspecto das redes sociais é a comunicação próxima que você tem com o seu público. Afinal, as pessoas estão lá para interagir não apenas com amigos, colegas e membros da família, mas também com empresas e marcas. Portanto, o engajamento que a sua instituição pode ter via comentários nas postagens e mensagens diretas estreita o relacionamento virtual com o seu público.

Maior divulgação

E, claro, as redes sociais também funcionam como bons canais de divulgação da sua instituição. Além das postagens na linha do tempo e stories, você também pode criar anúncios com alguma finalidade específica, tais como: conseguir mais fãs ou seguidores, levar os visitantes à página da sua instituição, aumentar o compartilhamento das suas publicações, etc.

Quais são os benefícios de marketing nas redes sociais para instituições de saúde?

Uma das principais vantagens de vincular a sua instituição às redes sociais é se tornar uma referência ao falar sobre assuntos específicos ligados à área.

Afinal, na internet, as pessoas procuram conteúdos que sejam claros e confiáveis e, ao encontrarem, criam afinidade com a instituição e, quando elas precisarem marcar uma consulta, o primeiro nome a ser cogitado será o seu.

Claro que para conseguir esses resultados é necessário montar uma estratégia de marketing digital voltada às redes sociais que explicaremos mais para frente como fazer.

Assim, os demais benefícios que as redes sociais podem trazer para a sua instituição são:

  • aproveitamento da busca por assuntos ligados à área de saúde a fim de fortalecer o nome da instituição e torná-lo referência em sua área de atuação;
  • transmitir credibilidade ao público por meio dos conteúdos publicados nas redes e do engajamento que eles geram;
  • maior proximidade com seupúblico-alvoque pode interagir e tirar dúvidas via comentários e mensagens;
  • aumentar as chances de transformar fãs e seguidores das suas redes em pacientes por conta dos pontos acima;
  • ter uma vantagem competitiva em relação à concorrência (sobretudo se os concorrentes não estiverem fazendo ações nas redes sociais).

Dicas para fazer marketing nas redes sociais para instituições de saúde

Agora vamos à parte prática! Inserir a sua instituição nas redes sociais não se restringe apenas em publicar algo que você ache interessante e sim no que está embasado na sua estratégia desenvolvida em torno do objetivo da sua instituição. Aliás, a primeira dica é justamente sobre esse ponto.

Monte uma estratégia de marketing digital para redes sociais

Antes de publicar o primeiro post nas redes sociais, é preciso montar a estratégia de marketing digital tomando como base os conceitos da persona e da jornada do cliente.

A personaé um personagem semi-fictício que representa o seu público, ou seja, é o retrato do seu paciente ideal. Diferente do conceito de público-alvo que é amplo, a persona é mais específica. Portanto, um exemplo de persona pode ser: Maria, 32 anos, recepcionista, faz anualmente seus exames de saúde e busca na internet informações à respeito.

Uma vez que a persona esteja criada, fica mais fácil se comunicar com o seu público, pois toda postagem publicada nas redes sociais deve ser composta baseada na persona já que os assuntos ligados à ela são de interesse do seu público como todo.

E a maneira como esse público pode conhecer a sua instituição nas redes e se tornarem pacientes vai depender da jornada do cliente. Esta jornada, também conhecida como funil de vendas, mostra como essa conversão ocorre em três momentos:

  • Topo do funil:nesta etapa, chamada também de estágio de atração, as pessoas chegam às suas redes sociais porque estão com algum problema por resolver;
  • Meio do funil:aqui, as pessoas buscam soluções para solucionar os problemas, por isso é também conhecida como estágio de consideração;
  • Fundo do funil:por fim, neste momento conhecido como estágio da decisão, as pessoas decidem marcar uma consulta na sua instituição.

 

E para que você consiga visualizar como isso funciona no seu cenário, vejamos alguns exemplos:

  • Topo do funil:Maria navega pelo Facebook e busca seguir páginas que falam sobre saúde, pois ela se preocupa pelo seu bem-estar.
  • Meio do funil:Maria segue a sua fanpage e, enquanto navega pela timeline, se interessa em ver conteúdos com dicas de saúde;
  • Fundo do funil:Maria decide ir a uma instituição para fazer seu exame de rotina e opta pela sua por sempre trazer conteúdos confiáveis e relevantes.

 

Nas redes sociais, o ideal é que as publicações sigam a regra do 80/20, isto é, 80% publicações de topo e meio de funil e 20% delas fundo de funil.

Faça a escolha das redes sociais

É comum pensar que, para ser efetivo nas redes sociais, é necessário estar presente em todas elas. Porém, não é bem assim. Você não precisa estar em todas as redes, mas sim naquelas em que o seu público também está.

Por isso é tão importante criar a persona antes de fazer postagens. Afinal, uma vez que ela esteja criada, fica mais fácil identificar quais redes ela mais costuma usar.

Apesar do Facebook ser usado por aproximadamente metade da população brasileira, leve em conta que uma persona de perfil corporativo seguramente está mais ativa no LinkedIn, personas mais jovens podem dar preferência ao Instagramou Snapchat, e assim por diante.

Portanto, levante quais são essas redes antes se seguir ao próximo passo.

Faça um calendário editorial

Quando navegamos pelas redes sociais, tendemos a pensar que as publicações feitas por profissionais e empresas ocorre de forma aleatória, da mesma maneira que as pessoas publicam em seus perfis pessoais. Contudo, este também é outro engano. Para saber o que postar, você deve seguir um calendário editorial.

O calendário é simples e pode até mesmo ser feito numa planilha do Google Drive. O importante é que ele tenha planejado quais serão as publicações do dia, da semana ou do mês, seus conteúdos e o horário de publicação.

Vale dizer que você não precisa estar diante do computador ou com smartphone na mão na hora de fazer a publicação e sim programá-las. Seguem plataformas gratuitas e pagas com as quais você pode fazer isso:

  • HootSuite:permite a inclusão de até três contas de redes sociais gratuitamente para que você possa programar as publicações de acordo com os dias e horários que constam no seu calendário;
  • Postgrain:uma das mais conhecidas plataformas para publicações no Instagram, seu plano gratuito é restrito, mas você pode ter benefício no preço do plano pago se contratar o serviço para mais de uma conta na rede social.

Tenha recorrência de postagens

Todos os dias vemos conteúdos novos em todas as redes sociais, logo, a sua instituição precisa fazer o mesmo. A recorrência de postagens precisa ser constante para que você esteja sempre visível na linha de tempo dos seus fãs e seguidores.

Não existe uma regra de frequência, mas elas podem variar de acordo com cada rede. O Twitter, por exemplo, por ter uma timeline em tempo real, pode requerer uma quantidade maior de tweets por dia em horários distintos para que atinja o seu público.

E por falar em horário, atente-se também aos horários de maior acesso do público às suas redes sociais, pois estes podem ser os melhores momentos para publicar as suas postagens.

Acompanhe os relatórios de resultados

Por fim, faça um acompanhamento dos resultados que as ações nas redes sociais têm gerado à sua instituição, sobretudo levando em conta o objetivo que ela tem.

Se o objetivo for conseguir um maior engajamento com o público, leve esse indicador em conta na hora de conferir quantos comentários e mensagens as redes geraram durante o mês, por exemplo. Por outro lado, se a conversão em pacientes for o indicador mais forte, analise quantos contatos vieram das redes sociais.

Caso os resultados do primeiro ou algum determinado mês não sejam satisfatórios, não desanime. O acompanhamento dos resultados serve justamente para saber quais foram os erros e acertos para deixar a estratégia nas redes sociais cada vez mais afinada.

Gostou do conteúdo? Então continue aprendendo e confira nosso post de10 passos para criar uma newsletter impecável!

Comentários