5 dicas de como convencer pacientes que têm medo de ir ao dentista

O medo de dentista é um problema bastante comum e que não está relacionado apenas a infância.

A situação é tão usual que tem até um nome específico: odontofobia, o medo extremo de se sentar na cadeira do dentista e que alcança uma marca impressionante de 15% a 20% da população brasileira.

Se o medo de ir ao dentista é algo que causa muitos transtornos aos pacientes, para os profissionais essa situação também é bastante complicada.

Mas será que existem formas de oferecer mais segurança a essas pessoas e de transformar o seu consultório em um lugar mais agradável?

Continue lendo este artigo e saiba mais!

Por que as pessoas têm medo de ir ao dentista?

Se você quer convencer os pacientes com fobia a se submeterem aos tratamentos odontológicos, é preciso, primeiro, compreender a causa disso – e entender que o pavor sentido é real, e não fingimento.

Existem muitas explicações para a situação.

Os mais velhos, por exemplo, podem associar a ida ao dentista com os tratamentos antigos que eram bastante desconfortáveis, como as agulhas grossas usadas para as anestesias que causavam muita dor.

Com o avanço da tecnologia, essa situação não acontece mais, porém ainda existem pessoas com esse medo.

Outra possibilidade são os traumas, principalmente causados na infância, com experiências ruins ou muita dor em algum tratamento realizado.

Existem, ainda, os pais que possuem medo de dentista e acabam passando esse receio aos filhos, mesmo sem perceber, principalmente quando relatam histórias de dor ou desconforto pelas quais passaram.

Na grande maioria das vezes, a causa do temor do paciente é o desconhecido. Ou seja, ao se sentar na cadeira do dentista, ele não tem mais controle da situação e não sabe como o procedimento será feito, em quais etapas e o que ele deve esperar em termos de desconforto.

Também é importante a sensibilidade do dentista. Afinal, se você receber um paciente no seu consultório que apresente um quadro muito intenso de fobia e pânico, o mais recomendado é indicar que a pessoa seja avaliada por um psicólogo ou um psiquiatra – que poderão ajudar a melhorar a situação e permitir que o paciente se submeta ao tratamento odontológico.

Como reduzir o medo de dentista e passar mais segurança aos pacientes?

Como você viu, o pânico de dentista é algo comum e que pode acontecer tanto com adultos quanto com crianças, sendo causado por inúmeras situações.

Porém, você, como profissional, poderá ajudar a reduzir a sensação de medo dos seus pacientes, equipando melhor o seu consultório e se preparando para receber essas pessoas.

Veja essas 5 dicas importantes que separamos.

Dica #1: Converse e explique os procedimentos ao paciente

O desconhecido, como dissemos, é o principal receio de quem tem medo de ir ao dentista. Por isso, quanto mais franco você for, melhor.

Converse com o paciente sobre o procedimento, detalhe cada uma das etapas, seja honesto em relação à possibilidade de dor e tire todas as dúvidas que o paciente venha a ter.

Se for o caso, mostre os materiais que você vai usar, quem vai participar da sua equipe, a experiência que possui realizando esse tipo de procedimento e a importância dos cuidados odontológicos (por exemplo evitando situações desconfortáveis no futuro e intervenções mais drásticas).

Assim, você conseguirá passar segurança à pessoa.

Dica #2: Invista em tecnologia

tecnologia de clareamento

Hoje, o mercado odontológico está muito diferente do que era em décadas passadas.

Equipar o seu consultório é fundamental para conseguir receber mais pacientes e oferecer a eles a tranquilidade que merecem.

Se você for atender pessoas com medo de agulha, poderá, por exemplo, optar pela anestesia com um aparelho que injeta o anestésico por pressão.

A maior parte dos pacientes fóbicos relata aversão ao barulho do “motorzinho”. Então, uma boa dica é investir nos aparelhos com motores elétricos que são bem mais silenciosos.

Outra possibilidade é abandonar a moldagem tradicional, que causa desconforto em muitas pessoas, e substituí-la pelo scanner intraoral, capaz de captar imagens muito mais precisas da boca do paciente, agilizando o processo e tornando o momento menos traumático.

A tecnologia também é uma aliada importante na hora de convencer o paciente, reduzindo o receio em relação ao resultado final, especialmente em tratamentos que envolvem a questão estética.

Afinal, é possível usar imagens que mostram uma prévia de como ficará a boca do paciente após um tratamento ortodôntico ou com facetas e lentes, por exemplo.

Dica #3: Se necessário, ofereça a sedação consciente

Essa é uma técnica que está sendo usada em consultórios de ponta e que pode ser o diferencial que faltava para que os pacientes com medo de dentista optem pela sua clínica.

A sedação consciente também é conhecida como analgesia inalatória e é realizada com óxido nitroso (N2O) e oxigênio (O2).

O método ajuda a acalmar e tranquilizar o paciente antes do início do tratamento.

Junto da máscara de analgesia, alguns dentistas também oferecem a hipnose, que pode ser de indução rápida ou lenta e também é realizada antes do tratamento odontológico.

Dica #4: Crie um ambiente agradável

Se não existe a possibilidade de investir em tecnologia de ponta no momento, uma boa solução é transformar o seu consultório em um ambiente agradável.

Para os pacientes com pavor do “barulho do motorzinho”, ofereça fones de ouvido com músicas que ajudem a relaxar, ou inclua uma TV no ambiente e ofereça os fones para o paciente assistir séries, filmes ou outra programação que lhe ajude a acalmar.

Alguns consultórios vão além do kit multimídia e oferecem também esteira de massagem e seringa com água aquecida, ajudando o paciente a relaxar ainda mais.

Dica #5: Divulgue essas facilidades

Todas essas são técnicas simples, mas bastante eficientes.

Porém, é claro, que precisam ser divulgadas.

Coloque uma página no seu site explicando como você trabalha com os pacientes que têm medo de dentista, as técnicas e tecnologias que usa e como está habituado a lidar com essa situação, tendo sempre o cuidado para não ferir o código de ética da Odontologia (atenção especial ao item III do art 44).

Divulgue essas informações também nas suas redes sociais.

Dessa forma, os pacientes com medo saberão que você é um profissional preparado e que o seu consultório possui estrutura adequada para recebê-los.

Depois de ler este conteúdo, ficou mais fácil convencer os pacientes que têm medo de dentista a se tratarem com você?

Baixe o nosso e-book e veja dicas para transformar o marketing da sua clínica!

 

 

Comentários