Cloudia na F8 – Quais Foram as Principais Novidades Anunciadas pelo Facebook

O F8 é a conferência anual do Facebook para desenvolvedores. É na F8 que o Facebook anuncia as novidades da empresa e de seus produtos. O tema da F8 esse ano foi “A conversation about technology and human connection”, algo como “Uma conversa sobre tecnologia e conexão humana” em tradução livre.

 

Todo mundo pode aplicar para participar da conferência, mas a demanda de interessados ultrapassa a oferta de ingressos para o evento. O Facebook, portanto, seleciona os participantes do evento. O ingresso custa U$ 600,00.

A Cloudia foi privilegiada em 2019. Por ter feito parte de um programa de aceleração de startups do Facebook em São Paulo (o Facebook tem programas de aceleração em 8 países), nós fomos convidados a participar do evento neste ano.

Da esquerda para a direita:Empreendedores de algumas startups que fizeram parte do programa de aceleração do Facebook no Brasil e que foram ao F8. Everton – Vittude, Gi – MEI Fácil, Jan – Edusim e Felipe – Cloudia (a.k.a. Eu que escrevo esse post).

O evento aconteceu nos dias 30 de abril e 01 de maio de 2019, no San Jose Convention Center e contou com a participação de aproximadamente 5000 pessoas.

Nas 2 primeiras horas do evento, Mark Zuckerberg e os principais responsáveis por todos os produtos do Facebook fizeram a palestra principal (keynote), onde eles falaram sobre as principais novidades do Facebook.

Mark Zuckerberg iniciou a apresentação resumindo tudo que foi anunciado logo depois na conferência e depois convidou os principais responsáveis por cada um dos produtos da empresa. Essa foi a sequencia da palestra de abertura: Resumão (por Mark Zuckerberg), Facebook Messenger, WhatsApp, Facebook (a rede social), Instagram, Facebook Portal, Realidade Aumentada + Realidade Virtual, e os Facebook Oculus.

Se quiser ver um resumo completo dos anúncios no ponto de vista do próprio Facebook, acesse https://newsroom.fb.com/news/2019/04/f8-2019-day-1/ . Se quiser ver em forma de vídeo em 2 minutos as principais novidades de forma bem resumida, veja o vídeo https://developers.facebook.com/videos/f8-2019/f8-2019-recap/.

Neste post, eu vou resumir quais foram, no meu ponto de vista, as principais novidades apresentadas por eles.

Mark começou dizedo que “The future is private” (o futuro é privado), o que denota que o Facebook está dando cada vez mais importância a privacidade e a interações mais privadas (troca de mensagens, compartilhamentos em grupos de interesses) e menos permanentes (por exemplo, os stories do Instagram).

 

The future is private

Mark e outros executivos mostraram os seis pilares que serão seguidos para atingir esse objetivo:

Interações privadas (No Facebook Messenger, WhatsApp e Instagram Direct)
Criptografia
Permanência reduzida (O que já acontece com os stories, por exemplo)
Segurança
Interoperabilidade
Armazenamento seguro de dados

 

 

A partir daqui, trago as novidades divididas por tópicos.

Facebook Messenger

O Facebook Messenger ganha agora mais importância, uma vez que, com o aumento do foco nas comunicações privadas, ele passa a ser a ferramenta mais importante de interação da rede social.

Mark anunciou que um novo aplicativo do Facebook Messenger, muito mais leve e rápido que o anterior (e do que qualquer outro aplicativo de troca de mensagens entre usuários), foi desenvolvido pelos engenheiros de software da empresa.

Uma outra novidade anunciada foi o desenvolvimento de um aplicativo do Facebook Messenger para desktop, tanto para windows quanto para Mac.

Foi anunciado a criação de um novo tipo de Facebook Adds com o objetivo de gerar leads. Agora, além do “lead adds” com formulários, vai existir um “lead adds” onde o usuário será jogado para o messenger para responder as perguntas e responder em forma de chat a estas perguntas. É um fato conhecido que mensagens privadas automatizadas convertem melhor do que formulários, portanto, o Facebook está melhorando as opções do Facebook adds e ajudando os negócios a converterem mais leads na plataforma.

Será disponibilizado pelo Facebook uma forma mais simples para os desenvolvedores que precisam disponibilizar agendamentos para os usuários dos seus chatbots, como é o nosso caso na Cloudia. A experiência de agendamento poderá ter novas opções e ficar ainda mais simples para o usuário final.

Finalmente, foi anunciado por Asha que no Facebook Messenger passará a ser possível comunicar-se por mensagens também com outros usuários no WhatsApp e no Instagram Direct, reforçando o pilar da interoperabilidade.

A foto não ficou boa, mas a mensagem está passada: Facebook Messenger, WhatsApp e Instagram Direct, tudo junto e misturado.

WhatsApp

Quanto ao WhatsApp, as maiores novidades anunciadas foram os catálogos no WhatsApp Business. Isto é, no WhatsApp Business será possível cadastrar uma lista de produtos contendo os ítens que o seu negócio pode vender para os seus clientes. A executiva que apresentou esta novidade usou uma brasileira de Ribeirão Preto chamada Isa Lepera, dona de um negócio chamado “Cupcakes by Isa” quando ela falou sobre essa novidade.

Também foi anunciado uma expansão internacional da funcionalidade de pagamentos, que, de acordo com Mark, está sendo testada na Índia desde o ano passado. Os pagamentos são muito interessantes: usuários podem transferir dinheiro uns para os outros diretamente pelo WhatsApp. Provavelmente, isso também se aplica aos negócios no WhatsApp, isto é, usuários podem transferir dinheiro para negócios no Facebook.

Quanto a API para a integração de chatbots, que desde agosto de 2018 foi disponibilizada pelo WhatsApp para testes e está disponível via parceiros de integração, infelizmente não houve novidades.

Facebook (A rede social)

Mark explicou que o Facebook teve apenas 4 versões até esta F8. E nela, ele apresentou a 5a versão do Facebook: o FB5. Várias alterações foram feitas no front-end (a parte que o usuário final enxerga, a interface) e back-end (as funcionalidades que os servidores provêm para as aplicações do Facebook) do software.

Um novo website, muito mais limpo do que o atual foi apresentado.

Ficou muito claro o direcionamento de toda a empresa para tornar as interfaces do site e dos aplicativos mais leves, simples e intuitivas, o que inclui a redução do número de opções, menus e botões de uma forma geral.

A unificação das interfaces também é algo que foi bastante reforçado: a experiência que o usuário tem nos aplicativos será bem semelhante à experiência que ele tem no site.

Uma novidade anunciada foi o “Facebook Dating”, um concorrente sério do Tinder.

Instagram

Quanto ao Instagram, Mark reforçou bastante as funcionalidade de compras pelo aplicativo (Intagram Shopping). O “Buying from Creators” foi apresentado e recebido como uma grande novidade pelo público. Consiste em possibilitar que criadores de produtos vendam os seus produtos diretamente aos usuários diretamente pelo Instagram sem intermediários. Ele mostrou também umas novas formas de indexar produtos em fotos, de uma forma que os usuários conseguem clicar em produtos presentes nas fotos de usuários e já comprá-los diretamente via Instagram. Ele deu um exemplo de um famoso vestindo um óculos escuro e o usuário clicando nesse óculos escuro e já fazendo a compra, tudo sem sair do Instagram.

Nova plataforma computacional

O Facebook é conhecido por desenvolver vários projetos de software e por disponibilizar várias APIs e ferramentas para a comunidade de desenvolvedores. No F8, Mark frizou que os softwares, APIs e ferramentas do Facebook estão sendo criadas com novos paradigmas e pensando sempre na privacidade do usuário e das empresas que usam os produtos do Facebook. Estou curioso para ver os próximos passos nessa área.

Facebook Portal

Mark apresentou o dispositivo de hardware do Facebook para ser utilizado pelos usuários para vídeo conferências com outros usuários. Uma funcionalidade muito conveniente do dispositivo de vídeo é que sua câmera consegue seguir o usuário que está falando, colocando zoom no usuário quando ele se afasta do dispositivo ou mesmo direcionando a câmera enquanto o usuário move-se de um lado para o outro do ambiente. Por trás do dispositivo, tem toda uma infra-estrutura de servidores, softwares e APIs que tornam o tráfego desses dados de vídeo entre usuários e algumas funcionalidades divertidas possíveis. Um exemplo que ele citou usando a própria família dele foi que, por exemplo, adultos podem contar histórias para crianças remotamente através do portal e eles podem virar os personagens dessas hitórias. Imagine contar uma história com mais uma pessoa e um de vocês poder virar o lobo mal e a outra a Chapelzinho Vermelho.

O dados gerados pelas vídeo-conferências feitas através do Portal são criptografados fim-a-fim. O que na prática significa que apenas os usuários envolvidos na comunicação conseguem entender os dados (O vídeo ao vivo entre os usuários, nesse caso). Mesmo o próprio Facebook, que é o dono da infra-estrutura na qual os dados trafegam, não consegue entender o conteúdo dos dados que estão sendo trafegados, uma vez que esses dados são encriptados (ou criptografados) ao saírem do aparelho de um dos usuários participantes da conferência e são decriptados (ou descriptografados) apenas ao chegarem no aparelho do outro usuário.

Zuck anunciou que todas as vídeo conferências feitas no WhatsApp e no Facebook Messenger serão criptografadas fim-a-fim e serão trafegadas pela infra-estutura do Portal.

Oculus Rift e Oculus Quest

Os dois óculos de Realidade Virtual do Facebook foram anunciados: Oculus Rift e Oculus Quest. Ambos serão vendidos por U$ 399,00 nos EUA. Todo mundo que participou do F8 ganhou um Oculus Quest! Uhuuuuu. Só depois do dia 21 de maio é que poderemos entrar em um site e submeter o pedido do Quest.

Inteligência artificial para a detecção de problemas

Em vários momentos da F8 e especialmente no 2o dia todo do evento, eles falaram muito sobre inteligência artificial e a aplicação dela para resolver de forma automática problemas importantes que o Facebook enfrenta, como: spam, contas falsas, fake news, discursos de ódio, bulling, propaganda pró-terrorismo, venda de produtos ilegais (como drogas), entre outros problemas. Imaginem: o Facebook tem mais de 2 bilhões de usuários e 36 mil funcionários. Se os funcionários fossem monitorar os usuários da rede social manualmente, cada funcionário precisaria monitorar 56 mil usuários, algo claramente impossível de ser feito por seres humanos.

Como o Facebook consegue resolver esses problemas? Usando inteligência artificial para detectá-los automaticamente. Os executivos foram direto ao ponto e mostraram como é a performance da detecção automática desses problemas na plataforma. Por exemplo, a detecção de usuários falsos, que é um problema antigo, já atinge níveis de acertividade maiores que 95%. Problemas mais recentes e mais complexos, como as fake news, ainda têm percentual de acertividade mais baixo. Os executivos mostraram que o objetivo do Facebook é atingir níveis acima de 99% de acertividade para a detecção automática desses problemas.

Para dar um exemplo concreto, foi explicado como o Facebook está aplicando inteligência artificial no reconhecimento de objetos em imagens, juntamente com análise do perfil do usuário e processamento de linguagem natural (que consiste em entender o que está escrito no título do post e nos comentários) para melhorar o entendimento e o bloqueio automático de certos posts. Ficou muito claro que quando a inteligência artificial é utilizada de forma multidimensional (imagem + título do post + análise do perfil do usuário), ela atinge níveis de acertividade muito maiores do que quando utilizada de forma unidimensional (por exemplo: se só a imagem for analisada para a detecção da venda de produtos ilegais, como drogas, na plataforma).

Também ficou bastante claro o esforço do Facebook para fazer os algoritmos de inteligência artificial executarem nos dispositivos dos usuários ao invés de deixá-los rodando nos servidores. Isso garante mais rapidez para a experiência do usuário, mas traz vários desafios, que estão sendo endereçados pela empresa. O maior desafio é que é muito mais fácil fazer esses algoritmos executarem em super servidores na nuvem do que executá-los nos dispositivos dos usuários, muito mais limitados em termos de capacidade de processamento e memória.

Resumindo:

Em resumo, a mensagem principal do Facebook na conferência é que o futuro é privado: conversas privadas serão o centro da plataforma e os grupos ganharão muita importância na rede social. Para o momento atual da empresa, 6 pilares serão sempre seguidos: interações privadas, criptografia, permanência reduzida, segurança, interoperabilidade e armazenamento seguro de dados.

Os aplicativos e canais de mensageria (Facebook Messenger, WhatsApp e Instagram Direct) ganham maior importância com essa nova tendência. A evolução do Facebook Messenger foi bem clara, especialmente no que diz respeito a deixar o aplicativo mais leve e mais rápido. No Facebook Messenger, os usuários serão capazes de interagir com usuários dos outros dois canais de mensageria: WhatsApp e Instagram Direct.

A segurança e a solução de problemas na rede social são grandes focos da empresa. Prova disso é que o segundo dia da F8 (a conferência só tem 2 dias) teve muito conteúdo relacionado a como o Facebook está utilizando a inteligência artificial e a análise de dados para detectar os principais problemas enfrentados na plataforma, como spam, usuários falsos, fake news, venda de produtos ilegais (como drogas), propaganda pró-terrorismo, bullying, entre outros. Os executivos trouseram os principais temas e mostraram a situação atual da detecção automática de cada um desses problemas.

O Facebook está investindo pesado em Realidade Virtual (VR) e Realidade Aumentada (AR), não só com software (APIs, SDKs de AR e VR), mas também com hardware, especificamente para VR, com os 2 novos modelos dos Óculus lançados.

Foi mostrado também o Portal, que consiste tanto no hardware inteligente para videoconferências que pode ser comprado pelos usuários como também o conjunto de software e infra-estrutura de back-end que trafega os dados dos vídeos ao vivo dos usuários de forma segura e privada. Adicionalmente, seguindo a tendência das assistentes virtuais por voz para a casa, produto muito em alta nos EUA, o hardware do Portal vem com a Alexa, a assistente virtual da Amazon, inclusa no produto.

Comentários